Monthly Archives: março 2020

  • 0

  • 0

Comunicado Coronavírus

Categoria : Noticias

COMUNICADO

Prezado (a) cliente

Seguem medidas de proteção em relação ao Coronavírus de acordo com o Ministério da Saúde:

Medidas de proteção:

1-Lave as mãos com frequência, com água e sabão, ou higienize com álcool em gel 70%.

2- Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos.

3-Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas e fique em casa até melhorar.

4-Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas. Ao tocar, lave sempre as mãos com água e sabão.

5-Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos.

6-Evite aglomerações e mantenha os ambientes ventilados.

Como o coronavírus (Covid-19) é  transmitido?

A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo (cerca de 2 metros), por meio de:

Gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, toque ou aperto de mãos, Objetos ou superfícies contaminadas

Quais são os sintomas?

Os sintomas mais comuns são:

febre e tosse ou dificuldade para respirar. Caso apresente algum deles, procure um serviço de saúde.

Quando usar máscara?

Pessoas que apresentam sintomas respiratórios, como tosse, espirros ou dificuldade para respirar, mesmo quando procuram atendimento médico, para proteger as pessoas ao seu redor.

Pessoas (incluindo familiares) que prestam atendimento a pessoas com suspeita ou confirmação de coronavírus.

Profissionais de saúde, quando entram em uma sala com pacientes ou quando tratam um indivíduo com sintomas respiratórios e de acordo com o tipo de atendimento que será prestado.

As máscaras só são efetivas se forem associadas à lavagem frequente das mãos com água e sabão ou higienização com álcool em gel.

Após usar máscara, descarte-a em local adequado e lave as mãos.

Já existe tratamento contra o coronavírus (Covid-19)?

SIM. O tratamento evita o agravamento da doença e reduz o desconforto. No entanto, não há um medicamento para matar o vírus. E a grande maioria dos casos, como acontece com as gripes, são curados sozinhos.

E já existe vacina?

Não há vacina disponível até o momento.

Vou viajar para um local com casos

de coronavírus (Covid-19). O que faço?

Avalie a necessidade real da viagem e adie, se possível.

Se for inevitável, previna-se e siga as orientações das autoridades de saúde do local.

Voltei de viagem de um local com casos de coronavírus (Covid-19). O que faço?

Fique atento à sua condição de saúde, principalmente nos primeiros 14 dias.

Reforce os hábitos de higiene, como lavar as mãos com água e sabão.

Caso apresente sintomas como febre e tosse ou dificuldade para respirar, procure um serviço de saúde e informe o seu histórico de viagem.

Fique tranquilo, mas atento:

A infecção por coronavírus (Covid-19) é uma doença de baixa letalidade. Dados da OMS mostram que 80% dos casos são leves. A maior preocupação é quando a doença atinge idosos ou pessoas com doenças crônicas.

Informação e lavar as mãos com sabão são as melhores prevenções.

Grupos de risco:

NOTA TÉCNICA CONJUNTA No 02/2020 – PGT/CODEMAT/CONAP

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

Define:

São considerados integrantes de grupos populacionais mais vulneráveis os maiores de 60 anos, portadores de doenças crônicas, imunocomprometidos, gestantes e crianças.

ORIENTA-SE:

  1. Incentivo à aproximação das autoridades sanitárias e gestores locais da Saúde, interagindo com os “gabinetes de crise” municipais e estaduais, com vistas a acompanhar as medidas orientativas que vêm sendo adotadas com relação aos estabelecimentos que apresentem população de trabalhadores mediano (OSHA), de modo a prevenir e desfavorecer a transmissão comunitária, reforçando a necessidade de acompanhar os Planos Estaduais e Municipais de Contingência;

2-Recomendar aos empregadores, sindicatos patronais, sindicatos profissionais que representem setores econômicos considerados de risco muito alto, alto ou mediano (OSHA), que observem as medidas de segurança que devem ser adotadas nas empresas, como:

FORNECER lavatórios com água e sabão;

FORNECER sanitizantes (álcool 70% ou outros adequados à atividade);

ADOTAR medidas que impliquem em alterações na rotina de trabalho, como, por exemplo, política de flexibilidade de jornada quando os serviços de transporte, creches, escolas, dentre outros, não estejam em funcionamento regular e quando comunicados por autoridades;

ESTABELECER política de flexibilidade de jornada para que os trabalhadores atendam familiares doentes ou em situação de vulnerabilidade a infecção pelo coronavírus e para que obedeçam a quarentena e demais orientações dos serviços de saúde;

NÃO PERMITIR a circulação de crianças e demais familiares dos trabalhadores nos ambientes de trabalho que possam representar risco à sua saúde por exposição ao novo coronavírus, seja aos demais inerentes a esses espaços;

SEGUIR os planos de contingência recomendados pelas autoridades locais em casos de epidemia, tais como: permitir a ausência no trabalho, organizar o processo de trabalho para aumentar a distância entre as pessoas e reduzir a força de trabalho necessária, permitir a realização de trabalhos a distância;

ADOTAR outras medidas recomendadas pelas autoridades locais, de molde a resguardar os grupos vulneráveis e mitigando a transmissão comunitária;

ADVERTIR os gestores dos contratos de prestação de serviços, quando houver serviços terceirizados, quanto à responsabilidade da empresa contratada em adotar todos os meios necessários para conscientizar e prevenir seus trabalhadores acerca dos riscos do contágio do novo coronavírus (SARS-COV-2) e da obrigação de notificação da empresa contratante quando do diagnóstico de trabalhador com a doença (COVID-19).

Recomendar aos empregadores, sindicatos patronais, sindicatos profissionais que representem setores econômicos que considerados de risco muito alto, alto ou mediano (OSHA), que negociem acordos e/ou instrumentos coletivos de trabalho prevendo flexibilização de horários, especialmente para os trabalhadores que integrem grupos vulneráveis, o abono de faltas sem a apresentação de atestado médico àqueles que apresentarem sintomas sugestivos da COVID-19, entre outras medidas necessárias para conter a transmissão da doença;

 

O Grupo Prestomed recomenda:

Cada empresa deverá avaliar se o colaborador se encontra no grupo populacional vulnerável, e decidir se ele deve ser afastado ou não das atividades.

O colaborador que estiver com queixas respiratórias como (febre, dificuldade para respirar, tosse, dor de garganta e etc) não deve ser encaminhado para realização de avaliação médica na Prestomed. Este colaborador deverá ser encaminhado para o Pronto Atendimento.

O Grupo Prestomed está adotando medidas internas de proteção durante o atendimento das empresas, para zelar pela saúde de todos os colaboradores que utilizam os nossos postos de atendimentos.

Estamos à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Atenciosamente,

Grupo Prestomedpresto logo 2501